10 de outubro de 2014

Drops

Olá novamente, hoje vou compartilhar experiencias e novidades como costumo fazer de tempos em tempos.

Para os amantes dos picolés de frutas, as noticias são as seguintes:

-tempos difíceis para pitanga, banana e goiaba. Encontrar essas frutas ta realmente complicado.
-manga, tamarindo e tangerina. A manga vai virar raridade mais pra frente e o tamarindo pode vir a desaparecer em novembro, já a tangerina já é um sabor em via de extinção, sendo possível a recuperação total somente ano que vem e talvez demore.
-a jabuticaba saiu do grupo dos que poderiam entrar em extinção.

O motivo de todas essas noticias tristes é a falta de água. Os agricultores estão no limite do racionamento e a falta de chuva não tem ajudado. A pouca chuva que cai, parece ser mais irônica e maldosa do que se pode perceber. Chove um pouco, as arvores e/ou plantações se animam, brotam as flores e imediatamente a água cessa. A flor cai e os frutos não se seguram nas plantas. Resultado? Fico sem matéria prima.

Para os que gostam dos picolés a base de leite, as noticias são melhores:

-os que são baseados em chocolate so tem a festejar, nenhum problema à vista.
-para os que gostam dos picolés de iogurte, nem tudo é um mar de rosas. O preço do leite aumentou, e o fermento lácteo também. Tá começando a ficar realmente injusto o meu preço de venda, e quero lembrar a todos, (e vou colocar em letras garrafais para entenderem bem) EU NÃO AUMENTO OS PREÇOS DOS PICOLÉS DESDE NUNCA. O preço atual é o mesmo preço desde a criação da empresa em 2011. Mas na época, o limão custava 52 centavos ao kg, e agora ta pra mais de 3 reais. A melancia custava 5 reais por unidade, e agora varia entre 1,20 e 1,99 ao kg. O leite também era mais barato, e a manga custava 89 centavos ao kg. Ja deu pra entender? Um aumento se faz necessário, até por ser este o meu sustento. Tentarei segurar ao máximo, mas é uma guerra que eu vou perder. Muito provavelmente os de fruta custarão 2, os de leite 2,5 e vou tentar manter ao máximo os de nozes ou castanhas nos 3 reais atuais. Já para quem compra a caixa com 28 unidades, vou segurar o preço, pois muita gente reclama do fato de não existir desconto para quem compra mais unidades. Só que os clientes precisam distinguir entre produção industrial e produção artesanal. São parâmetros completamente diferentes. E vamos lembrar do fato mais importante: a qualidade que eu ofereço está muito acima do preço final de venda. Recebo constantemente criticas sobre os meus baixos preços. Mas eu tenho um posicionamento de mercado bem diferenciado. Eu gosto de saber que todos estão em condições de comprar o meu produto. Não é algo só para elites. É para todos os tipos de publico, para quem gosta de qualidade e entende que até quem ganha um salario minimo, pode de vez em quando comprar uma caixa de picolés para a própria família. Não vai precisar de um empréstimo no banco pra isso.
-com o desaparecimento precoce da tangerina, colocarei sempre um mousse de algum sabor no lugar. atualmente é o de limão siciliano, em seguida escolherei entre morango ou maracuja, ou até mesmo sabores mais ousados como o de batata doce (sim, é bom, é so tirar o preconceito e o medo da cabeça e provar de forma sincera).
-aos amantes do coco e do doce de leite com coco.... tá cada vez mais dificil achar coco decente. tentarei ao maximo, mas se chegar num ponto que o coco for uma sombra do produto que ele ja foi... vou ter de limar temporariamente esses sabores. É uma fruta que nao da pra congelar e obter os mesmos resultados. Quem é meu cliente, sabe que eu trabalho com fruta fresca. A qualidade sempre agradece no final.
-o milho... o sabor ingrato que vem me dando problemas para achar. existe uma chance pequena mas ainda assim possível de ficar sem o sabor até dezembro. Tudo isso por causa da ausência de chuva. Não adianta, sem água as plantas não crescem.

20 de setembro de 2014

Picolé de Pavê

Eu ja tinha falado sobre isso no Facebook, mas vou retocar por aqui. Pavê é um dos novos sabores da linha de leite da Frutta Mesmo. Gostaria de chamar a vossa atenção sobre um aspecto importante da receita: este sabor é o único que contem glúten. Não por ser adicionado na receita, mas por ser um pavê e ter biscoito de maizena na receita. O biscoito contém glúten em sua composição (milho), e por consequência, o picolé também.
A receita como um todo continua respeitando os parâmetros básicos da minha empresa: ser natural e ser o mais próximo possível do produto original (o pavê).



13 de setembro de 2014

Sai Taiti e entra Siciliano

Tentei uma vez fazer um picolé de mousse de limão. Usei o limão taiti, que é o verde e comum de qualquer mercado. Acabou que ficou forte demais e sem perfume. Pensei imediatamente que o limão siciliano seria a escolha obvia, mas por falta de onde comprar, deixei pra la.
Recentemente vi no mercado o tal limão amarelo da ilha italiana e comprei uma certa quantidade pra fazer o teste.
Deu foi muito certo, tanto na cor, sabor, perfume, consistência, tudo que pode ser percebido organoleticamente ta show.
Claro que a matéria prima é mais cara. Mas acho que isso pode ser superado. Apreciem o substituto para jabuticaba ou tangerina, (o que acabar primeiro).

MOUSSE DE LIMÃO SICILIANO


21 de julho de 2014

Estou de volta

Olá

Sou o picolé de tangerina da Frutta Mesmo. Estive fora por muito tempo, devido ao fato que não existiam as condições ideais para a minha existência na realidade do meu criador. Ele é um cara muito pentelho que vive de forma muito passional. Pra ele eu deveria ser basicamente a fruta, eu deveria ser indistinguível da tangerina a fruta. Por causa desta forma dele ver os produtos de sua empresa, eu fiquei no limbo por muito tempo. Acho que agora eu consegui agradar a este maniaco sem coração, pois agora estou aqui, tenho um corpo, um lindo corpo aliás, a minha cor é fantástica, meu sabor é inesquecível. Eu serei atrevido ao ponto de dizer que na comparação, tirando a questão do bagaço e das sementes, a própria fruta perde pra mim no quesito sabor e cor. Mas vou deixar que vocês digam se estou sendo realista ou menos.
Eu estou de volta, e desta vez é pra ficar!


18 de julho de 2014

Tem cartinha pra você

Foi um semestre intenso, dobrei os sabores disponíveis e ainda estou criando outros. Novos fornecedores surgiram e novos clientes também. A cada dia mais, me preparo para atender ao publico com diabetes, aos lacto e glúten intolerantes, aos que preferem por gosto pessoal o picolé sem açúcar, e aos que preferem sabores simples, ou o contrario, sabores inusitados.
Foram criados: pitanga, jabuticaba, buriti, graviola, tamarindo, laranja com acerola e para os diabéticos eu fiz maçã com couve. E isso foi so na parte vegana.
Na linha Chokoleite, apareceram novos sabores: amendoim, milho, doce de leite, cream caramel, doce de leite com coco, vienna (sorvete de creme com maçã e canela), os picolés baseados em chocolate tiveram um aumento substancial de cacau puro em sua formula (dark é agora 70% e o ao leite é 50% e o mesmo vale para castanha do pará, amêndoas, nocciolatto e mocaccino). São detalhes, que adicionam muita qualidade aos já premiados picolés desta marca.
Em um futuro muito próximo, planejo expandir a linha com dois sabores que sempre me agradaram, mas que até então não era possível fazer com a mesma qualidade dos outros. Agora é possível ter de volta, finalmente, o sabor tangerina. Ele foi um dos primeiros, fazia parte dos oito sabores originais da Frutta Mesmo, que por questões de indisponibilidade de matéria prima, acabou saindo da lista. Encontrei um tipo de tangerina que para mim era desconhecido, que é economicamente viável, e que resolve o problema principal do amargo que o suco desenvolvia ao longo do processo de produção. Farei testes e verificarei se é realmente bom.
Outro sabor que eu sempre quis ter, mas nunca pude, é o tiramisù, que é basicamente um pavê de café. O grande empecilho sempre foi e será arrumar mascarpone de qualidade e economicamente viável. Pensei a respeito e decidi adaptar o sabor para a nossa cultura, e tendo o cuidado de mudar o nome e explicar que é um produto diferente, eu criei a receita do pavê.  Com direito a três camadas, com tanto de biscoito entre elas, espero que saia direitinho conforme imaginei. Para falar a verdade, a receita me veio em sonho, e assim que acordei a escrevi e estou agora amadurecendo a ideia.
Mais um sabor que teve os mesmos problemas que a tangerina e nunca passou com notas altas nos meus testes foi o abacate. Supostamente, a mesma pessoa que me forneceu a tangerina, alega ter um abacate manteiga, de casca cuja cor é no mínimo estranha, e de uma cremosidade e suavidade única. Alega inclusive que a fruta não amarga com o tempo. Até hoje tem se revelado um ótimo fornecedor, cuja qualidade dos produtos se revelou indiscutível. Obviamente que terá o meu voto de confiança, e testarei ao longo da próxima semana, numa maravilhosa vitamina, e quem já tomou a minha vitamina de abacate, se lembra por vários anos a seguir. (Yes, I am that good, just believe me. É uma direta para uma certa pessoa que teima em não provar a vitamina, pois tem receios. Inocente...)

Por ultimo, mas não menos importante deixo uma mensagem aos que so consomem produtos com determinadas características, tais como a ausência de leite, de glúten, de produtos animais, ou os naturebas de plantão que gozam do meu respeito e admiração:

Meus queridos, não adianta falar que é maravilhoso, dar joinha, falar bem e jamais comprar do produto, não é mesmo? Afinal de contas, eu pesquisei e ouvi o grito de todos vocês, as reclamações sobre a quantidade pífia de empresas que se importam em fazer algo ético e de qualidade. Entao já que agora existem empresas assim no Brasil, parem de mandar vir de fora, comprem o produto que está a disposição aqui, pois sem o comércio, não há retorno de investimento. E para piorar, sem o retorno do investimento inicial, não há um segundo investimento em algo ainda mais satisfatório. Tenho planos de fazer muitas coisas boas para todos vocês, mas sem o suporte necessário, nada acontece. Vários outros produtos estão à espera para serem colocados no mercado, mas que por falta de um volume de vendas que justifique um investimento mais pesado, acabam ficando somente no papel. E vamos parar com esse mito que picolé e sorvete no inverno deixa as pessoas doentes, ou que sacaneia a garganta. Por favor... O que o medico manda o paciente comer quando retira as amígdalas? Caldo verde é que não é.... Se ainda fosse um picolé meia boca, feito de pozinho eu até entenderia. Mas quando algo é feito com produtos genuínos e naturais, é um alimento como qualquer outro.

Bom, o desabafo foi feito, e espero que os interessados entendam que sem interesse e sem estimulo, tudo nesse mundo cessa.

E para quem deseja revender o produto fora do DF, já aviso que o transporte e as taxas comem seu lucro todo. O que realmente pode ser feito é a produção no local, tipo uma filial mediante o licenciamento do produto e das receitas, do método de fabricação e da marca. Não é um investimento pesado. Com um investimento inicial de 20 a 30 mil da pra fazer. Os equipamentos não são assim absurdamente caros. Quem estiver interessado, é so entrar em contato preferencialmente por telefone. (061-32649616 ou 061-83278723)

Sem mais novidades, desejo vida longa e prospera a todos vocês.