5 de dezembro de 2014

Vamos por partes

Parte um

Sabe quando uma pessoa não tem o que fazer na vida e decide encher o saco? Pois é, hoje aconteceu que meu saco foi enchido. De alguma forma, o facebook achou, ou por algum funcionário desocupado, ou por alguma definição de sistema, obviamen
te programada por alguém com sérios problemas de ocupação, que eu não poderia acessar mais minha pagina.
O facebook então achou melhor que a minha pagina, até então pessoal, se transformaria num perfil societário, ou numa pagina de alguma marca. Fui então forçado a fazer um novo perfil, e automaticamente a pagina da Frutta Mesmo entrou como sub pagina do meu novo perfil.
Sempre gostei de manter um relacionamento próximo com todos os amigos, clientes e clientes em potencial. Desta vez, o facebook cancelou todos os contatos do bate papo, e me obrigou a inserir manualmente um por um, sendo que eu nao tenho saco pra isso.
Portanto, se alguém que seguia a Frutta Mesmo antes, desejar conversar pelo bate papo, é so enviar uma solicitação para o perfil novo,

https://www.facebook.com/profile.php?id=100008523553919

e vamos ver se funciona.

Sem mais, agradeço a todos pela paciência.


Parte dois

Hoje consegui arrumar pitangas, pois ja tinha dois meses que eu nao fazia este sabor de picolé. Por ter conseguido na sexta a tarde e por não poder fazer somente um sabor por vez, mas precisar de quatro no total, farei o picolé de pitanga no maximo na segunda feira.



Fui atras de arrumar seriguela, mas atualmente estão pouco maduras e percebi ao provar uma, que a semente desta fruta é enorme. Ocupa entre 75 a 85% do volume total do fruto. Obviamente isso tem consequências trágicas sobre o quanto de fruta é necessário para fazer um litro de suco. Suponho que seja inviável comercialmente, até pelo fato que o kg da seriguela é caro. Uma pena.

Parte três


O picolé vendido no carrinho aumentou de preço. O de fruta de 1.50 foi pra 2 reais. O de leite permaneceu em 2 reais, assim como o de nozes e castanhas ficou em 3 reais. Para os clientes que compram as caixas de 28 unidades pra cima, o preço não mudou, continua 1,60 reais.
O picolé de panettone não será feito, por uma discussão que eu tive com a física. Ela cisma em querer com que os corpos pesados caiam num liquido de densidade alta e eu digo o contrario. Bom, inútil dizer que ela venceu essa. A química poderia ter me ajudado, mas decidi não pedir favores a ela.

Quando eu fizer sorvete, será um ótimo sabor, pois a densidade neste caso me favorecerá. Até lá, fui o unico felizardo que provou deste ótimo sabor, que ficará na gaveta por mais um tempinho.

30 de novembro de 2014

Upgrade, tapioca e panettone

O picolé de cuscuz de tapioca com leite de coco e o proprio coco ralado a mão, é simplesmente fantástico.
Já o de panettone, não está no mesmo nível AINDA, por isso ainda não será colocado para a venda. Tentarei uma receita 2.0 ainda esta semana.
Aproveitem o de tapioca pois está muito bom mesmo.

28 de novembro de 2014

Novos testes de sabor


É sempre assim, basta chover que eu começo a criar sabores novos. Quase como se criatividade precisasse de água pra crescer. E assim eu farei dois novos sabores hoje e se ficarem bons como eu espero, serão adotados.






O primeiro é um clássico doce brasileiro, o cuscuz de tapioca, acompanhado de coco e leite condensado. Quem nunca foi pra praia e comprou no calçadão, ou até mesmo na orla, um pedaço de cuscuz fresquinho e cheiroso?




O próximo sabor é um clássico dos clássicos. Geralmente encontrado no período do Natal, é um doce tipico da cidade de Milão na Itália. O super famoso pão doce do Antonio, "il pan del Toni".
Não conhece? Então vou deixar uma dica.

Para os que estão acostumados com a versão industrializada, saibam que não foi sempre assim. Antonio foi um ajudante de cozinha que trabalhou para um Chef a serviço de Ludovico o Mouro na Milão do século XV. O chef de Antonio tinha feito um doce assado para um almoço de Natal para o Duque, mas o doce acabou assando demais no forno e ficou um pouco queimado nas bordas. Não dava para apresentar algo assim para um nobre, e aproveitando os restos não queimados, adicionando mel e fruta cristalizada, leite e ovos, o Pão doce do Antonio conquistou os comensais.
Desde então a receita passou por varias transformações e adaptações, mas em Milão ainda existem artesãos que o fazem da forma tradicional (assim como eu o faço).
Inspirado nisso eu resolvi criar o picolé de Panettone. Espero que fique bom.

5 de novembro de 2014

Back in Black

Após dez dias de sofrimento gentilmente proporcionado pela dupla dinâmica GVT e NET, o telefone fixo da Frutta Mesmo volta ao normal. 061-32649616, que seria o antigo numero, o que consta no cartão. Ja o numero noticiado pela postagem anterior, pode ser desconsiderado. É um defunto que não levanta mais.

Flash News

Pensei que seria impossível continuar a produzir o picolé de Buriti, mas contatos no Piauí garantem o fornecimento da fruta para mim. Quem diria que um dia a fruta viajaria tanto para chegar até a minha empresa? Bom, pelo menos, uma fruta a menos para entrar na lista de extinção.
No meio tempo, a pitanga continua desaparecida, ja reservei a produção do bosque todinho, onde costumo comprar. Espero que baste para garantir o fornecimento pelo menos para mais alguns meses.

O finado Cupuaçu vai continuar na gaveta, e um sabor inesperado está ganhando confiança: Pequi. Será que vai rolar? Saberemos nos próximos capítulos.

1 de novembro de 2014

Mudanças

A Frutta Mesmo está de numero novo, (61) 3055-5205. Além disso, foi criado um novo sabor: Cajuzinho do Cerrado. Lembrando também que está à disposição outro sabor recentemente inventado, o Mousse de Batata Doce.

Foram feitos testes com Cupuaçu, mas o sabor acabou se revelando não tão bom quanto o padrão exigido na empresa. Estará disponível somente sob encomenda, mas não faz parte do Panteão de Sabores.